No Brasil

 

Ecoturismo é uma das melhores alternativas de desenvolvimento econômico compatível com a valorização dos lugares, ao mesmo tempo que promove e concilia a conservação da natureza. E o uso sustentável da natureza é fundamental para a qualidade de vida das pessoas.

O Brasil reúne as condições para ser um destino de classe mundial de Ecoturismo. Temos uma natureza exuberante. Nossa diversidade nos faz ocupar o topo da lista dos 18 países mais diversos do mundo, segundo o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA). Assim, emerge um enorme potencial para impulsionar o crescimento econômico e a inclusão social, mas também demanda uma enorme responsabilidade no manejo desses preciosos recursos naturais e culturais.

O país conta com um sistema de Unidades de Conservação, parques e reservas naturais, amplo e extenso. As unidades somam 250 milhões de hectares. O Brasil tem atualmente 2.201 unidades dentre as federais, estaduais e municipais. Do total, 698 são de proteção integral, como Estações Ecológicas, Monumentos Naturais, Parques Nacionais, Estaduais ou Municipais, Refúgios de Vida Silvestre e Reserva Biológica, segundo o Cadastro Nacional de Unidades de Conservação (CNUC), administrado pelo Ministério do Meio Ambiente em parceria com demais órgãos. 

Outras 1.503 unidades são de uso sustentável (florestas, reservas extrativistas, de desenvolvimento sustentável, de fauna, áreas de proteção ambiente e relevante interesse ecológico). Cada tipo de Unidade de Conservação tem regras relacionadas as atividades permitidas em cada ambiente e o seu uso para o Ecoturismo deve estar em alinhamento com essas possibilidades.

Os números mostram a força atual e o potencial destes ambientes para a economia e para o Turismo. Segundo dados do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO), em 2018 foram gerados cerca de 90 mil empregos, R$ 2,7 bilhões em renda, R$ 3,8 bilhões em valor agregado ao PIB e R$1,1 bilhão em impostos.

Este conjunto de áreas guardam as "joias da coroa" da natureza brasileira e muitas oportunidades de expansão da visitação, concessões e parcerias público-privadas. Atualmente, somente 18 parques nacionais contam com concessões ativas, dentre os mais de 70 existentes no país. As parcerias entre o Ecoturismo e as Unidades de Conservação brasileira está apenas começando e existem muitas oportunidades de negócios que devem ser desenvolvidas nos próximos anos.

 

A busca por Ecoturismo pelo brasileiro

 

Pesquisa realizada pela Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (ABETA) em 2010 aponta que o público brasileiro está aberto e ávido por experimentar experiências na natureza.

O estudo mostrou que 72% da população brasileira tem interesse no Ecoturismo, em especial em realizar mais atividades e conhecer mais o país e as diferentes atividades oferecidas. Um outro indicador que confirma a continuidade do crescente interesse pelo público brasileiro pelo Ecoturismo são os recordes de visitação em áreas protegidas que crescem seguidamente desde 2010 e bateram novo recorde em 2019 (ICMBIO).

Em 2019, as 137 Unidades de Conservação - UCs federais receberam 15.335.272 visitas, um aumento de 20,4% em relação a 2018 (12.389.393). Soma-se aos números acima o potente mercado de Turismo doméstico brasileiro, principal propulsor de fluxos turísticos do nosso mercado e que ainda conta com volume baixo de turistas estrangeiros. Somente a aviação doméstica movimentou mais de 96 milhões de passageiros neste mesmo ano.

Vale ressaltar que o Ecoturismo é uma realidade em todo o Brasil, com centenas de destinos de natureza que atraem mercados locais, regionais, nacionais e internacionais, dependendo do nível de maturidade e estruturação.

Existem milhares de empresas especializadas na arte de desenvolver e oferecer produtos de Ecoturismo de norte a sul do país, ou seja, referências e exemplos que podem inspirar a expansão do desenvolvimento do setor não faltam.

 

Profissionalização do setor no país

 

A ABETA é a principal entidade do setor, sendo referência em informação, construção de boas práticas, manuais e cursos de formação empresarial e profissional para o setor. Fortalecer o associativismo no Ecoturismo e Turismo de Aventura apresenta-se como fundamental para competitividade com o aprimoramento da oferta no Brasil.

Para quem empreende nessas atividades, torna-se fundamental atuar em consonância com os aspectos de segurança, visando proporcionar a integridade de todos os envolvidos e garantir a sustentabilidade do setor. Para isso, a ABETA desenvolve constantes eventos, capacitações e manuais técnicos que estão disponíveis no seu site ABETA.TUR.BR (clique aqui para acessar)

Outro aspecto importante é conhecer as Normas Técnicas para as diversas atividades e atuações no Turismo de Aventura, existindo 42 Normas Técnicas Nacionais (ABNT NBR), sendo delas 17 Normas Técnicas Internacionais (ABNT NBR ISO). Importante ressaltar que a Lei Geral do Turismo obriga a adoção das normas por todas as empresas que operam tais atividade no Brasil.

Mais informações podem ser obtidas junto à ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) através do site da entidade (clique aqui para acessar).

 

Um grande país com oportunidades

 

Enfim, o Brasil tem vocação e muitas oportunidades para o desenvolvimento e a expansão do Ecoturismo, vejamos parte desse potencial:

 

  • De norte a sul do Brasil, da Serra do Rio do Rastro, em Santa Catarina, passando pelos Aparados da Serra, no Rio Grande do Sul, da grande reserva da Mata Atlântica que liga o Paraná a São Paulo, das cavernas do Vale do Ribeira as nossas incríveis Ilhabela, Ilha Grande e Serra do Mar, que guarda o litoral entre São Paulo e Rio de Janeiro.
  • Continuamos em direção ao interior do Brasil, passando pelo Parque Nacional do Itatiaia e, pela Serra dos Órgãos, chegamos às Minas Gerais, com seus incríveis Parques: Serra do Caparaó, Serra do Cipó, Grande Sertão Veredas, Peruaçu e Sempre Vivas, para falar somente dos nacionais.
  • Seguimos em direção ao Planalto Central, Chapada dos Veadeiros, Terra Ronca em Goiás, Jalapão no Tocantins.
  • Subimos para o incrível e único Pantanal que ocupa grandes porções do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Temos que falar de Bonito nossa capital nacional do Ecoturismo.
  • Seguimos para a Chapada Diamantina, outro ícone nacional. Na Bahia os parques que marcam o descobrimento do Brasil e, subimos mais ao norte, chegamos em Itacaré.
  • Pelo nordeste vamos pela Rota das Emoções que liga Ceará, Piauí e Maranhão, chegando nos únicos Lençóis Maranhenses e ao Delta do Parnaíba, sem falar na Chapada das Mesas. E seguindo viagem alcançamos a maior floresta do planeta terra - a nossa Amazônia - uma única floresta, muitos destinos e experiências a explorar. 

São grandes belezas e riquezas para serem aproveitadas pelo Turismo, sempre levando em consideração o desenvolvimento sustentável e o Turismo Responsável.

Navegue no mapa interativo abaixo e veja as informações dos estados brasileiros.

 

Ecoturismo em cada estado

Conheça informações sobre o Ecoturismo e Turismo de Natureza nos estados brasileiros. Basta clicar no mapa:

FAÇA PARTE

Participe agora mesmo do Portal Sebrae de Ecoturismo e tenha acesso a maior plataforma online com conhecimentos, boas práticas e oportunidades no Turismo Sustentável. É totalmente gratuito e fácil para empreendedores, gestores e profissionais que atuam nos destinos brasileiros.

Quero participar